fbpx Formação Universitária para Seniores | ULisboa

Formação Universitária para Seniores

Formação Universitária para Seniores

O Programa de Formação Universitária para Seniores da Universidade de Lisboa pretende acrescentar ao tradicional papel da Universidade de ensino e formação dos mais jovens uma nova missão, não menos importante, que naturalmente complementa o serviço público que lhe cabe prestar à Sociedade.

Share Formação Universitária para Seniores

Orientações extraordinárias Covid 19 - Atendimento

A sua criação teve presente o facto de o aumento da esperança de vida e a diminuição considerável da natalidade imporem uma alteração significativa na pirâmide etária da população portuguesa, sendo expectável que os maiores de 50 anos venham a desempenhar um papel fundamental na sociedade, nomeadamente na Ciência, Tecnologia, Saúde e na participação política e cívica.

À Universidade compete, portanto, estar atenta a esta realidade e assegurar a pessoas desta faixa etária programas formativos que as habilitem a compreender e a adaptar-se às novas realidades da sociedade de hoje, associando-se à premência da formação ao longo da vida e do envelhecimento ativo.

Nos últimos 10 anos, o Programa tem vindo a oferecer um conjunto de cursos com uma vocação científica, técnica e cultural, concebidos e orientados por docentes da Universidade de Lisboa especificamente para a população sénior.

A par de cursos livres, a Universidade de Lisboa organiza também ciclos de conferências em temas atuais. Aumentando a nossa oferta formativa, lançamos em 2019 uma nova modalidade de frequência de cursos, implementada com a abertura ad hoc de vagas para frequência de unidades curriculares dos cursos regulares da Faculdade de Letras. Com esta nova iniciativa, cumpre-se mais um dos objetivos do Programa: O encontro intergeracional.

Iniciativas de 1º semestre (2020/21): candidaturas encerradas

Iniciativas de 2º semestre (2020/21): informação disponível a partir de fevereiro

 

Em parceria com a Faculdade de Direito e a Faculdade de Letras, foram traçados Percursos Seniores no seio dos planos de estudo regulares destas escolas. Um percurso define-se pela frequência de uma unidade curricular semestral, ao longo de 3 semestres.

Aos participantes que tiverem atendido 75% da carga horária total do curso, será emitido um certificado de frequência. Àqueles que tiverem completado 180 horas de formação e que tiverem obtido aprovação num trabalho final sobre uma temática relacionada com as matérias lecionadas, orientado por um docente da Faculdade de Letras, será emitido um diploma de conclusão do curso.

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao Ensino secundário ou equivalente.

Candidaturas encerradas

Custo: 10€, pagos no ato de candidatura


6 Percursos em Ciências Jurídicas

Ubi societas, ibi jus, ou seja "onde há sociedade, há Direito". No seu serviço de literacia jurídica à comunidade, a Faculdade de Direito propõe seis percursos baseados nas áreas mais tradicionais do conhecimento académico jurídico: Histórico-jurídicas, Jurídicas, Jurídico-económicas, Jurídico-políticas, Jurídico-penais e Jurídico-Internacionais

Programa

Seriação e inscrições: Os candidatos serão selecionados por ordem de candidatura para cada um dos percursos e em função das vagas disponibilizadas. As inscrições são da responsabilidade da Faculdade de Direito. , pressupondo o pagamento de matrícula e inscrição.

Taxas associadas à inscrição: 15€ de inscrição + 3€ de seguro escolar + 120€ por frequência de unidade curricular semestral

Início dos 6 Percursos em Ciências Jurídicas: coincidente com o arranque do ano letivo 2020/21, na Faculdade de Direito


12 Percursos em Humanidades

A Faculdade de Letras abre mundos no âmbito das Humanidades como é sua vocação científica primeira, propondo doze percursos com uma grande coesão temática e fortemente enraizados nas áreas do saber cultivadas na Faculdade de Letras: Estudos Artísticos, Estudos Clássicos, Estudos Ingleses, Estudos Norte-Americanos, Estudos Portugueses, Estudos Românicos, Filosofia, História, História da Arte, História de Portugal, Línguas Antigas e Modernas e Linguística.

Programa

Vagas: 5 em turma única; ou 5 em cada turma, para as disciplinas que têm mais de uma turma ou em turmas que têm sessões teóricas.

Seriação e inscrições: Os candidatos serão selecionados por ordem de candidatura para cada um dos percursos e em função das vagas disponibilizadas. As inscrições são da responsabilidade da Faculdade de Direito. , pressupondo o pagamento de matrícula e inscrição.

Taxas associadas à inscrição: 20€ de inscrição (pagos uma única vez) + 120€ por frequência de unidade curricular semestral

Início dos 12 Percursos em Humanidades: coincidente com o arranque do ano letivo 2020/21, na Faculdade de Letras

Serão retomados os cursos livres – Entender o Mundo no Século XXI: Cidades Verdes. Cidades Sustentáveis e Saúde Psicológica ao Longo da Vida – e o ciclo de conferências A arte médica no século XXI: surpreendente? .

Saúde Psicológica ao Longo da Vida (Curso livre)

O curso adota uma perspetiva de ciclo de vida e aborda conhecimentos e competências de autorregulação psicológica e de relacionamento interpessoal que contribuem para a Saúde Psicológica das crianças, jovens e adultos.

O curso é organizado pela Faculdade de Psicologia.

Programa

Calendarização: a indicar brevemente


Entender o Mundo no Século XXI: Cidades Verdes. Cidades Sustentáveis (2ª edição do curso livre)

A cidade é um imenso caleidoscópio de interculturalidades e sociabilidades e uma enorme força irradiadora e transformadora dos territórios. Mas a cidade também enfrenta um vasto e permanente espectro de desafios, sendo reconhecida a necessidade de sensibilizar para uma relação sociedade-ambiente mais sustentável.

Resultando de uma organização conjunta das Faculdades de Arquitetura, Ciências e Medicina Veterinária, do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, do Instituto Superior Técnico e do Instituto Superior de Agronomia, o curso procura promover um ponto de vista crítico, através de uma abordagem pluridisciplinar, fornecendo informação útil sobre como contribuir para a mudança.

Aos participantes que tiverem atendido 75% da carga horária total do curso, será emitido um certificado de frequência. Àqueles que tiverem completado 180 horas de formação e que tiverem obtido aprovação num trabalho final sobre uma temática relacionada com as matérias lecionadas, orientado por um docente de uma das escolas responsáveis pelo curso, será emitido um diploma de conclusão do curso.

Programa

Calendarização: a indicar brevemente


A arte médica no século XXI: surpreendente? (ciclo de conferências)

A prática médica no início do século XXI caracteriza-se por grande complexidade, vastos campos de intervenção clínica, complexidade de contextos éticos, custos muito elevados e dificuldade de compreensão por parte dos cidadãos de toda esta realidade.

O ciclo de conferências da responsabilidade da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa intitulada “A arte médica no século XXI: surpreendente?” Destina-se a fornecer informação – através de exposições e interações pedagógicas – sobre alguns dos campos do conhecimento médico mais relevantes: a base científica da medicina, a genética, o sofrimento moral, a nutrição, a disfunção cerebral ligada à idade, a bioética e o conceito de “medicina a mais”.

Programa

Calendarização: a indicar brevemente

e-Fórum Ética e Integridade em Democracia

Numa sociedade politicamente organizada, as decisões são, na sua maioria, de natureza compulsiva e, por conseguinte, requerem a observância de um conjunto de princípios fundamentais ao exercício dessa autoridade e que são a essência da relação contratual de confiança depositada pelo cidadão em quem o representa/governa.

Não obstante detenhamos pontos de vista diferentes sobre os princípios éticos que devem orientar o desempenho da democracia, a ética assume uma relevância acrescida em relação à sua legitimação. Estes valores, implícitos nas regras, procedimentos e instituições que definem a democracia, não são sempre exequíveis e compatíveis, nem o nível de apropriação destes é uniforme no espaço e no tempo. Não se trata de axiomas pré-definidos, mas de exigências de cidadania resultantes de grandes lutas civilizacionais que foram sendo travadas ao longo dos séculos e cujo legado foi transmitido de geração em geração, com maior ou menor sucesso. A contínua exposição mediática de falhas de integridade envolvendo líderes políticos e altas figuras do mundo dos negócios a que temos vindo a assistir nos últimos anos tem um efeito negativo na legitimação do poder político, enfraquecendo a responsabilidade e confiança públicas, e permitindo que certos membros da sociedade tenham um acesso privilegiado e, por vezes, obscuro aos bens públicos e decisões.

Se é verdade que democracia real é substancialmente menos do que a democracia ideal que cada um preconiza, algumas conseguem reunir maior apoio e gozam de elevados níveis de satisfação da parte dos seus cidadãos. O que é que explica essa variação? Que medidas profiláticas e paliativas têm sido implementadas e com que resultados? Como assegurar um compromisso ético duradouro? Estas e outras questões serão abordadas neste ciclo de debates dedicados ao tema da ética e integridade em democracia.

 

Programa


O Medicamento e a Sociedade

O ciclo de conferências propõe uma abordagem holística a diferentes temas com relevância para a sociedade, tendo como fio condutor o medicamento. As sessões que o integram visam estimular e desenvolver a reflexão e o espírito crítico dos formandos através da discussão e do debate de ideias. As conferências terão como ponto de partida o ciclo do medicamento, nas suas diferentes etapas e especificidades, com especial destaque para o impacto direto nos ganhos em saúde ao nível coletivo e individual. Serão abordados, de uma forma integrada, diferentes temáticas relacionadas com o medicamento, como a inovação, o desenvolvimento que tem conhecido e a sua utilização racional. Serão discutidas questões relacionadas com a segurança do uso do medicamento e da exposição a diversos contaminantes tóxicos ao longo da vida, mencionando fatores de risco relevantes para patologias crónicas. Adicionalmente serão abordados assuntos atuais como a resistência aos antibióticos e as infeções emergentes, a utilização de suplementos alimentares e de medicamentos à base de plantas, bem como de produtos de dermofarmácia. Por fim, serão discutidos alguns aspetos pertinentes sobre as novas tecnologias de saúde, as terapias avançadas e os desafios que as novas terapêuticas colocam aos profissionais de saúde e aos doentes.

Organização: Faculdade de Farmácia da ULisboa 

Programa


Fórum Europa 2019 - O Futuro da União Europeia

À incerteza que paira em relação ao futuro da união económica e ao papel do Euro nesse processo, somam-se os desafios à coesão e modelo social Europeu que se arrastam há mais de duas décadas e foram objeto central de duas estratégias de crescimento (Lisboa I e II). Como alcançar crescimento económico e emprego de forma sustentável, mantendo simultaneamente elevados níveis de coesão e proteção social? Nos últimos tempos, tem-se falado bastante de “economia do conhecimento”, “flexisegurança” e “ativação” no mercado de trabalho, através da implementação de programas que visam uma melhor conciliação de trabalho e vida familiar; investimento na educação, na formação de capital humano e no desenvolvimento de competências ao longo da vida; medidas proativas de combate ao desemprego, particularmente, desemprego de longa duração e de jovens qualificados; criação de uma economia assente no conhecimento. Até que ponto estas reformas têm sido bem sucedidas e em que medida são as mais apropriadas para assegurar uma construção sustentável de um modelo social europeu?

Para além dos desafios de natureza económica que a globalização veio colocar, a União Europeia está também a atravessar uma das maiores emergências humanitárias desde a sua fundação. À diferença de outras crises humanitárias em que a União Europeia interveio na qualidade de doador, esta tem incidência no seu próprio território e resulta de uma série de conflitos que estão a ter lugar à sua porta. A crise dos refugiados levanta várias questões relativamente à capacidade de resposta da União Europeia e dos Estados Membros face a riscos globais.

A conjunção destas duas crises, económica e social, despertou uma crise de valores com significância política. A instabilidade na zona euro agravou a intolerância social face aos fluxos de imigrantes e refugiados, sobretudo nos países que atravessam maiores dificuldades, o que por sua vez criou um contexto propício ao ressurgimento de movimentos de extrema direita. O discurso oficial securitário e de sustentabilidade do modelo social europeu, que justifica as medidas de contenção e controlo destes fluxos migratórios, é facilmente associado, na retórica populista, a sentimentos anti-imigração. O crescente euroceticismo e o sucesso dos populistas nas eleições e formações de governo nacionais, é um sintoma da perceção generalizada de perda de autonomia, da parte dos governos nacionais e da União Europeia, para lidar com os desafios da globalização, quer ao nível socio-económico, quer ao nível cultural/identitário. Por este motivo, a migração continua a ser um dos principais desafios à estabilidade, coesão e futuro da UE.

As instituições europeias não estão na sua melhor forma e o seu valor adicional tem diminuído, pelo menos em termos de perceções. A crescente insatisfação dos cidadãos em relação ao desempenho dos governos e da democracia a nível nacional, não tem sido compensada por um maior apego à Europa. Bem pelo contrário. A impopularidade da UE, sente-se cada vez mais, não só entre vários governos nacionais, como também entre os seus eleitores. Na última década não têm faltado apelos à refundação do projeto europeu por um conjunto mais restrito de países e em soluções de geometria variável. Uma união multinível e a várias velocidades já existe, mas não parece ter acrescido à sua eficácia.

O ambiente geopolítico tem-se deteriorado, o que levanta também sérios desafios à capacidade da UE contribuir para a governança da globalização económica e política. As relações transatlânticas já viram melhores dias. O Presidente dos Estados Unidos, tem-se mostrado hostil, quer aos acordos multilaterais de comércio livre, quer em relação ao compromisso norte-americano de defesa e segurança da Europa no quadro da NATO.

Pilares para uma Vida Ativa e saudável 

A promoção de uma vida ativa e saudável passa pela educação e formação ao longo do ciclo de vida com enfoque na promoção de competências e estilos de vida que contribuam para o bem-estar físico, psicológico e social.

A autorregulação psicológica e a atividade física regulares a par da alimentação equilibrada são considerados comportamentos prioritários para a promoção da saúde e prevenção de doenças crónicas não transmissíveis.

O Curso “Pilares para uma Vida Ativa e Saudável”, pretende capacitar os Seniores em diferentes áreas do conhecimento, nomeadamente, nas áreas de atividade física e exercício físico, da autorregulação psicológica e da alimentação de forma a tornarem-se agentes de mudança da sua própria vida, mas também dos seus ascendentes e descendentes, numa perspetiva preventiva e terapêutica.

O curso resulta de uma organização conjunta da Faculdade de Motricidade Humana e da Faculdade de Psicologia, envolvendo, ainda, a colaboração da Faculdade de Medicina e da Faculdade de Medicina Dentária. Compreende cerca de 64 horas de aulas/atividades repartidas por três módulos:

I - Saúde Psicológica ao Longo da Vida

II - Funções Orgânicas e Saúde

III - Estilo de Vida Ativo e Saudável

Programa

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao Ensino secundário ou equivalente.

Número de vagas: 40


Entender o Mundo no Séc. XXI

O curso Entender o Mundo no Século XXI foi, em 2015, preparado por um grupo de professores da Faculdade de Ciências, maioritariamente seniores, que dedicaram toda a sua vida profissional ao prazer da investigação e do ensino, em áreas do conhecimento muito variadas.

Tal como na 1ª edição (1º semestre de 2015/2016), neste segundo passeio pela ciência (2º semestre de 2018/2019), o objetivo mantém-se: conversar e pensar sobre o que nos espera na aurora do terceiro milénio. As discussões envolverão uma variedade de temas científicos – matemática, física, biofísica, geofísica, química, bioquímica, biologia, geologia, estatística, informática.

A apresentação dos vários tópicos, para além de incluir momentos expositivos, será organizada de modo a promover o diálogo entre formandos e formadores. Espera-se que este curso contribua para fomentar o gosto e a curiosidade científica dos alunos, independentemente do seu nível de conhecimento das matérias versadas e experiência profissional e, em última instância, os motive para uma descoberta crítica do Mundo e do Saber.


As Grandes Batalhas que moldaram a História da Humanidade

Este curso, no âmbito da História Militar, pretende, em sucessão cronológica, e de forma modular, apresentar e desenvolver os múltiplos aspetos relacionados com as dinâmicas da guerra no contexto da História Universal, a evolução dos sistemas militares, os diferentes modelos táticos, estratégicos e tecnológicos postos em ação a partir de um conjunto selecionado de batalhas navais, terrestres e aéreas do Mundo Antigo à Segunda Guerra Mundial.

Os docentes do curso são especialistas em História Militar e investigadores do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, integrados no Grupo de Investigação em História Militar, a que se juntam professores da Escola Naval, Academia Militar, Força Aérea e outros especialistas, e que pretendem oferecer aos interessados uma visão ampla e acessível de algumas das mais notáveis batalhas da História da Humanidade. O Curso apresenta-se organizado em três módulos diferenciados, mas relacionáveis entre si.


Governação, Política(s) e Cidadania na Século XXI

O curso tem como principal objetivo transmitir conhecimento assente no quadro teórico e metodológico interdisciplinar das ciências sociais e políticas e estimular o debate e reflexão crítica sobre um conjunto de problemas e desafios que se colocam à governação, políticas públicas e cidadania no século XXI.


Pilares para uma Vida Ativa e Saudável

O curso teve como principal objetivo transmitir conhecimentos nas áreas do desenvolvimento Pessoal e Social, Saúde e Qualidade de Vida e Atividade Física e Exercício. O curso foi constituído por 4 módulos:

I. Qualidade de Vida e Desenvolvimento Pessoal e Social ao Longo da Vida
II. Funções Orgânicas e Saúde
III. Estilo de Vida Ativo
IV.  Alimentação Saudável


Curso "O mundo atual num enquadramento económico-financeiro"

O curso tem como principal objetivo transmitir conhecimentos nas áreas de Economia, Gestão e Finanças refletindo sobre temáticas do mundo atual. O curso é constituído por 3 módulos:
 


Curso “Entre a Guerra e a Paz”


O curso “Entre a Guerra e a Paz” visa promover uma reflexão e análise em torno de cinco períodos da história, desde a pré-história às atuais missões de paz. A cargo da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, o curso conta com a colaboração de especialistas de outras instituições.


Curso "A Ciência e a Tecnologia no Século XXI - Uma visão integrada"

O Curso “A Ciência e a Tecnologia no século XXI – Uma visão integrada” visa cumprir uma das vocações de uma Escola de Engenharia, Ciência e Tecnologia de excelência como é o Técnico Lisboa, a divulgação da Ciência e do Conhecimento Tecnológico. Este é um curso desenhado para todos aqueles tenham uma apetência natural pela formação contínua numa perspectiva de enriquecimento intelectual permanente, enquadrando os desenvolvimentos recentes em várias áreas científicas com enorme impacto na nossa vida.
 


Curso "Entender o Mundo no Século XXI"

Que fazia Deus antes de criar o Mundo? Perguntava Santo Agostinho no século V. E respondia: “não houve tempo nenhum em que não fizésseis alguma coisa, pois fazíeis o próprio tempo”. É curioso que a cosmologia moderna, baseada na teoria do “big bang”, dá essencialmente a mesma resposta: o universo começou como uma singularidade do espaço-tempo.

Inserido no Programa de Formação Universitária para Seniores da UL, o curso “Entender o Mundo no Século XXI” foi preparado por um grupo de professores da Faculdade de Ciências, maioritariamente seniores, os quais dedicaram toda a sua vida profissional ao prazer da investigação e do ensino, em áreas do conhecimento muito variadas - física, química, biologia, geologia e estatística.

Neste passeio pela ciência, o objetivo é conversar e pensar sobre o que nos espera, a nós, humanos, na aurora do terceiro milénio. Serão abordadas questões que se relacionam com o futuro da nossa espécie, a única capaz de compreender o mundo que a cerca, modificá-lo em seu proveito e, até mesmo, destruí-lo, com os conceitos de espaço e de tempo absoluto e relativo, com a origem da Terra e da vida, e de como a Estatística mudou o mundo ou não conseguiu, entre outros temas.

A apresentação dos vários tópicos, para além de incluir um momento expositivo, será organizada de modo a promover o diálogo entre formandos e formadores. Espera-se que este curso contribua para fomentar o gosto e a curiosidade científica dos alunos, independentemente do seu nível de conhecimento das matérias versadas e experiência profissional e, em última instância, os concite para uma descoberta crítica do Mundo e do Saber.
 


Curso livre "Ciência, Tecnologia e Cidadania"

Em conformidade com os objetivos genéricos do Programa de Formação Universitária para Seniores, o curso “Ciência, Tecnologia e Cidadania”, pelo seu caráter transdisciplinar, não se assume como uma reciclagem profissional, mas, pelo contrário, como uma meta de aprendizagem noutros domínios científicos, tecnológicos e culturais que habilitem os seus  alunos a empreender uma nova atividade, complementar ou mesmo distinta da sua vida profissional, em que possam continuar a sentir-se ativos e úteis à sociedade que os rodeia.

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao Ensino Secundário ou equivalente.


Curso livre "Caminhos da História"

Refletir sobre o presente implica também conhecer as raízes e os percursos da História, nos mais diversos campos e perspetivas de estudo. Um conjunto de abordagens temáticas analisa os Caminhos da História no âmbito da ciência, das humanidades, da economia.

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao ensino secundário.

Mais informações
Departamanto Académico
Núcleo de Formação ao Longo da Vida
Reitoria da Universidade de Lisboa
Alameda da Universidade|1649-004 Lisboa

Tel.: 210 170 117/217 967 624 | Ext.:19118
E-mail: seniores@ulisboa.pt